Os Fazendeiros

         

Um casal vivia em uma fazenda nos EUA.
Em uma determinada ocasião, o marido chegou em casa e a esposa havia deixado algumas vacas escaparem do local onde estavam fechadas.
Observando isso, ele foi logo dizendo em alta voz:
“Eu não acredito no que aconteceu. Nem cuidar das vacas você consegue. Por que você é tão irresponsável? Eu não sei mais o que fazer com você, sua incompetente, ….
Quando ele acabou de descarregar sobre sua esposa todo seu nervosismo, ela estava de cabeça baixa, imóvel e não proferia nenhuma palavra. Em seguida, ela saiu para fazer seu trabalho de casa.
Neste momento, ele, sozinho, percebeu que tinha sido muito rude. Pensou em pedir desculpas e contornar o transtorno que causou, mas por seu lado masculino e orgulhoso, resolveu deixar para uma outra ocasião, talvez à noite.
À noite, quando foi se deitar, ela já estava dormindo e ele, para não acordá-la, deixou a conversa para a manhã seguinte.
No outro dia, como é de costume das pessoas que vivem em fazendas, acordou muito cedo para ir trabalhar. Quando saiu de casa, sua esposa ainda dormia, e ele, novamente, não querendo acordá-la, deixou a conversa para quando chegasse do trabalho. Pegou o seu cavalo e saiu pelo campo.
Á tarde, percebeu, olhando para o céu, que uma tempestade se aproximava (e algumas tempestades nos EUA são fortes e causam estragos enormes). Então, resolveu voltar mais cedo para casa.
Chegando lá, ele procura por sua esposa mas não a encontra; procura nos quartos, na sala, chama pelo seu nome e nada. Quando passa pela cozinha, vê um bilhete sobre a mesa com as seguintes palavras:
“Querido, infelizmente hoje deixei novamente escapar algumas vacas. Eu não queria ver você chateado e nem bravo como da última vez. Por isso fui atrás delas. Um beijo.
Eu te amo.”
Desesperado, pega o seu cavalo e sai correndo pelo campo gritando o nome da esposa.
O vento e a chuva eram muito fortes, o céu estava totalmente escuro e havia grande raios e relâmpagos. Depois de tanto procurar por todos os lugares em vão, ele volta para casa cansado e frustrado.
Quando está se aproximando de casa, ele vê, no mesmo local onde no dia anterior havia gritado com sua esposa, o corpo dela estendido no chão, debaixo de um tronco de árvore que havia caído com a tempestade.
Ele salta do cavalo, corre e a toma em seus braços. Mas era tarde.
Ela estava morta.

Não sei o que passou pela cabeça dele naquele momento, mas posso imaginar. Se pudesse expressar as palavras que ele disse, eu diria: Eu não acredito. Não pode ser verdade. Tempo, volte e eu desfarei tudo que fiz e disse ontem, e direi a ela o quanto a amo e que não consigo viver sem a sua presença. Volte tempo!!!”

As palavras deixam marcas que dificilmente se apagam. Valorize o que você tem de mais precioso nesta vida: as pessoas que vivem com você.

(AD)

                                     © blog almas douradas

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s