Doce vida


Quantos de nós já passamos por problemas, e sem forças enfrentamos tudo.
Sem medo e sem ajuda de ninguém, sempre com um sorriso no rosto, para não demonstrarmos que por dentro estávamos despedaçados, querendo apenas um carinho ou uma simples palavra de conforto.

Podendo assim, depois de tudo isso dizer:

‘’Valeu a pena, pois só nós sabemos o quanto podemos suportar e saber se o que fizemos está certo”.

Mesmo com muitos  julgando e crucificando, sem ao menos tentar te ajudar, continuamos sem medo e ao mesmo tempo amedrontada com tudo isso.

Julgar se é certo ou errado é fácil, difícil é tomar a atitude de apoiar rompendo barreiras indo contra tudo e contra todos.

Por isso cada qual com seus problemas, pois se não for ajudar ou estender a mão, que sua boca não se abra.

Todos nós sabemos o que fazemos, e os fazemos na medida em que podemos.

© Aline Machado

Anúncios

Dois lados

Um dia a melhor resposta é parar e pensar,
Pensamos em tudo e percebemos que tudo tem seus dois lados.

Nesse dia vemos que nossa parceira tem grandes defeitos,
Mas nesse mesmo dia, vemos que temos defeitos talvez maiores que os dela.

Vemos que ela faz grandes besteira sem pensar, mas que nós fazemos ainda mais.
Vemos que forçar uma resposta quando se pensa em diversas possibilidades,
 É um tanto quanto perigoso.

Enfim, um dia somos obrigados a parar para continuar.

© Lé0 Machado

Sociedade de consumo

A sociedade do consumo é uma derivação do sistema capitalista, que visa cada vez mais o lucro esquecendo de todo o resto. Ou seja, fabricamos muito, para vender ainda mais.

– Para onde vai tudo isso?

Uma das principais conseqüências disso tudo, é a produção em curto prazo. Citamos como exemplo um celular lançado esse mês, daqui a quatro ou no máximo cinco meses, já será “ultrapassado’’ e lançado outro. Assim acontece com vários outros produtos tecnológicos de vida útil “curta’’, no entanto, todos demoram centenas ou milhares de anos para se degradar. Novamente faço a pergunta: Para onde vai tudo isso?

A resposta é clara, quando vemos o aquecimento global, os efeitos da natureza, enfim, poluímos cada vez mais na busca de ser o que não somos. Atualmente damos mais valor para o ter do que para o ser, estamos esquecendo do respeito, cortesia, lealdade, e pensando muito na marca da roupa, do sapato e do carro. Criamos uma sociedade que vive de aparências.

“O consumo é a única finalidade e o único propósito de toda produção”

© Lé0 Machado
_____________________________________________________________________________________

fontes:
“O consumo é a única finalidade e o único propósito de toda produção.” Adam Smith
http://www.knoow.net/cienceconempr/economia/sociedadedeconsumo.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Sociedade_de_consumo

Erros constantes…

Um dia chegamos a um ponto,
que o ponto já não é o final,
e o fim já não é tão bom.

Nesse dia pensamos em tudo,
como seria e como não seria,
se tivéssemos  a chance de voltar
no tempo e fazer tudo diferente.

Todos acreditamos que se pudéssemos
voltar ao passado, faríamos diferente…

Assim, continuamos errando hoje,
para chegar amanhã e falar:
Eu faria tudo diferente se pudesse voltar no tempo.

Todos os dias temos uma nova chance,
Mas pensamos tanto no amanhã que esquecemos de aproveita-la.


© Lé0 Machado

Seis coisas impossíveis

Todos os dias antes de ir para faculdade,
Realizo seis coisas impossíveis.

1ª  Acordo ainda dormindo.

2ª  Mesmo morrendo de sono, mantenho o bom humor.

3ª  Trabalho com meus pais e sou feliz.

4ª  Sempre tenho uma baita ideia, quando não consigo se quer pensar.

5ª  Chego em casa cansado, com um monte de coisas para fazer,
      não consigo fazer nada, ainda assim mantenho a esperança.

6ª  Chego na faculdade e estudo normalmente, como se nada tivesse acontecido.

© Lé0 Machado

Velha infância

Quando criança eu era simplesmente genial.

Aos três anos de idade, já morava sozinho com meu pai.
Aos seis, criei minha primeira televisão de papelão.
Aos sete, já tinha criado um videogame e um baita jogo do Zorro.
Aos oito, eu já era criativo o suficiente e criei um filme de boneco em palitos.

Hoje aos dezenove anos de idade, onze anos mais esperto que aquela época,
Simplesmente não sei como terminar um texto.

© Lé0 Machado

Distorções

Quando sonhamos esquecemos de tudo,
Imaginamos o que não existe,
E fazemos existir o que até então não existia.

Por ingenuidade, esperamos a vida inteira
Por aquele momento lindo e feliz,
Onde nada daria errado.

Sem saber que esse dia talvez não chegue,
Esperamos ansiosamente por ele.
 
Até hoje eu me pergunto.

“Como as coisas seriam diferentes, se eu estendesse antes,
as distorções de um sonho a tempos realizado”

O engraçado e ao mesmo tempo irônico nisso tudo,
é o simples fato de esperarmos a vida inteira ele acontecer,
e finalmente quando acontece, além de não ser como sempre sonhamos,
não somos capazes de reconhecê-lo.

© Lé0 Machado