Eu sempre quis saber


Eu sempre quis saber,
Como fazer uma poesia,
E não ser repetitivo.

Como falar de amor,
Se não pensar em quem amamos?

Como falar de felicidade,
Sem mencionar seu nome?

Como esquecer a saudade,
Se vivo pensando em você?

Eu gostaria imensamente em saber,
Como fazer uma poesia,
Se eu não pensasse tanto em você.

‘’É tão fácil falar a verdade, dizer que te amo e estou com saudade’’

© Lé0 Machado

Um cachorro vira-lata


“Quase tudo em nossas vidas, podemos explicar com a Teoria dos seis graus de Separação

Hoje, como sempre, estávamos na pousada, aonde íamos todos os dias antes do serviço,
ver com o Gaúcho, se tinha algo para ser resolvido.

O Gaúcho por sua vez, relata uma reclamação do apto 17.

– Machado, o rapaz mau conseguiu dormir.
– Mas o que houve?
– O cachorro…
– Cachorro?

Segunda-feira, quando voltada da faculdade, passo por um posto de gasolina e vejo o carro de minha irmã estacionado. Ela estava dentro da conveniência.

Hoje, descubro que naquela noite fria, minha irmã adotou uma cachorra vira-lata, que estava no posto, em uma caixa de papelão nada confortável.

– Onde está?

Vou até o infrator e realmente escuto os tais barulhos. Quando avisto o bichano, logo penso…

– Meu deus, que vira lata.

Depois de algum tempo, sem perceber, estava  fazendo carinho nele. Mas como um homem macho, forte e não adorador de cachorro, pequeno e chorão, ia explicar o caso?

Parei e fomos trabalhar.

Algum tempo depois, chega minha irmã (revolucionária), toda feliz com a solução e fala:

– Trouxe um cão de Guarda!

O que me deixou realmente frustrado, é que o nome daquele pequeno animal, era Belinha.

– Belinha?

Belinha por sua vez, é o nome da cachorra que dei ainda filhote a minha namorada, no dia de seu aniversário.  No entanto, essa Belinha, não sabia que eu tinha uma namorada, que minha namorada tinha uma cachorra, e que a cachorra, também se chamava Belinha.

Porém, mesmo não me conhecendo e sem saber quem eu realmente era, ela me seguia em cada canto que ia, me lambia e chorava pedindo carinho.

Aquela enorme e ao mesmo tempo pequena vira-lata, não tinha a noção de que hoje, dia 14 de abril, dia em que comemoramos três anos e um mês de namoro, ela me fazia lembrar da minha namorada e de sua cachorra.

Ou seja, estamos ligados pelo terceiro grau de Separação;
A Saudade que sentimos por alguém.

– “Sai Belinha”

© Lé0 Machado

A Perceguição


Agora a pouco, voltando da faculdade de moto,
tremendo de frio e morrendo de fome.
Olho para baixo e vejo um vulto…
Quando olho de novo já passou.

Fico sem entender o que aconteceu, retorno a olhar,
e  novamente passa um vulto muito rápido por mim.
Me sinto mau, e acelero ainda mais tentando alcançar,
no entanto, quando chego perto, ele simplesmente desaparece.

De repente  passa voando ao meu lado,
eu já cansado disso, acelero ao máximo e quando olho pra frente…

BuMmMm…

Meu pai bate na porta e diz:

– Lé0 acorda, já são sete horas.

Assim, mais um longo dia começa, as seis e meia da manhã.

© Lé0 Machado

Nossos paradigmas


Ambição é simplesmente o sopro que damos
para chegar em algum lugar.

No entanto, devemos tomar cuidado,
Pois se soprarmos de mais,
Podemos acabar passando de onde
Queríamos chegar quando começamos a Soprar.

Assim, chegando ao extremo,
A Ganância.

(esses versos contém ironia)

© Lé0 Machado

Eis a Questão


Minha querida…
Infelizmente às vezes sem querer,
Me pego te traindo em pensamentos,
Pois os versos que me vem à cabeça,
Nem sempre tem o nome a quem devo dedicar.

Com o tempo, aprendi a mais dura realidade.

‘’Não há poeta de um só amor,
Uma só mulher,
Uma só história
Ou então de uma só inspiração’’

Somos apenas mensageiros de um autor anônimo,
Que quase sempre se esquece de por o nome do Destinatário.

(esses versos contém ironia)

© Lé0 Machado

A Ducha

Não sei dizer como e o porquê,
Mas sempre que precisamos dela, ela está La.
Sempre disposta, sempre disponível,
Sempre pronta para nos fazer feliz.

Meus dias sem ela,
Não seriam os mesmo,
Não seriam tão bons como sempre foram.

Lá de cima,
Ela faz milagre,
Faz o essencial para que nosso dia seja simplesmente inesquecível.

Todos sabemos o quanto ela é importante,
Sabemos também que ela faz o impossível,
Que ela não se nega, nem renega,
Faz tudo, sem falar se quer uma palavra.

Talvez um dia você saiba do que estou falando,
Mas enquanto esse dia não chega,
Aproveite, pois um dia ela pode não estar mais lá.

Agora me despeço,
confesso…
vou correndo disperso,
tomar uma Ducha,
assim, melhorando meu regresso.

© Lé0 Machado

(Esse texto foi feito ontem a pedidos de Betinho,
para anexar a um Roteiro que estamos fazendo).